Home / 3/5 / [Opinião] O Nascimento de Vénus, de Sarah Dunant

[Opinião] O Nascimento de Vénus, de Sarah Dunant

Autor: Sarah Dunant
Título Original: The Birth of Venus (2003)
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 350
ISBN: 9789898063226
Tradutor: Sofia Gomes
Origem: Comprado

Sinopse: Desnudo o corpo da irmã Lucrezia, as freiras observam a estranha tatuagem em forma de serpente que percorre o seu ventre. Lucrezia foi Alessandra. Jovem e inteligente, ela viveu o esplendor e luxo dos Médicis em pleno Renascimento. Como foi ela parar àquele convento? O que significa a tatuagem no seu corpo? De que morreu afinal? Um envolvente romance de mistério e paixão no século XV, a retratar em detalhe e minúcia a arte, riqueza e podridão de Florença.

Opinião: Este livro era outro dos que tinha aqui já há muito tempo por ler. Esta autora tem dois livros publicados na Saída de Emergência, incluindo este, e recentemente saiu, pela ASA, um novo livro (Corações Sagrados), que me voltou a despertar o interesse nas suas histórias.

No prólogo do livro, deparamo-nos com a morte de uma freira, na Itália do início do século XVI, que dá azo a um mistério aparentemente inexplicável, quando as restantes freiras preparam o seu corpo para o funeral e descobrem uma grande tatuagem no seu corpo, com a forma de uma serpente. O leitor não tem dificuldade em adivinhar que o livro girará em torno da história dessa mulher e que o final trará consigo o desvendar desse mistério.

Recuamos assim alguns anos, até à Florença de finais do século XV, na época em que era uma das cidades mais famosas do mundo pelos grandes talentos que lá viviam e pela predominância dos valores artísticos, patrocinados pelos grandes mecenas das artes, os Médicis. Nesse contexto, encontramos a jovem Alessandra Cecci, pertencente a uma família consideravelmente relevante a nível político; o livro acompanha o crescimento de Alessandra e o seu gosto pela pintura, numa sociedade ainda muito dominada pelos homens e pela perseguição religiosa.

O livro apresenta uma contextualização histórica bastante competente, e consegue transmitir de forma eficaz a época conturbada que se seguiu ao falecimento do grande influenciador Lorenzo de Médici e a subsequente importância dada ao extremismo religioso, por influência de Savonarola. Mas, apesar disto, o livro centra-se fundamentalmente na vida de Alessandra, e o impacto que eventos exteriores tiveram na sua vida e no seu amor pela arte, como forma de se libertar das amarras que a época em que viveu proporcionava às mulheres.

Pena foi que a personagem principal e o seu percurso não me tivessem inspirado particularmente. Dei por mim mais interessada nos eventos históricos e em algumas personagens secundárias do que em Alessandra e o seu destino. Houve ali qualquer coisa na personagem que para mim não funcionou e isso levou a que o meu interesse pelo livro tenha diminuído. Contudo, foi uma leitura agradável, sobre um período histórico interessante, e que não esmoreceu o meu interesse por continuar a explorar as histórias de Sarah Dunant. 

Classificação: 3/5 – Gostei


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.