Home / 5/5 / [Opinião] A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón

[Opinião] A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón

Autor: Carlos Ruiz Zafón
Título Original: La Sombra del Viento (2001)
Editora: Dom Quixote
Páginas: 512
ISBN: 9789722027090
Tradutor: J. Teixeira de Aguilar
Origem: Comprado

Sinopse: “A Sombra do Vento” é um mistério literário passado na Barcelona da primeira metade do século XX, desde os últimos esplendores do Modernismo até às trevas do pós-guerra. Um inesquecível relato sobre os segredos do coração e o feitiço dos livros, num crescendo de suspense que se mantém até à última página. 
Numa manhã de 1945, um rapaz é conduzido pelo pai a um lugar misterioso, oculto no coração da cidade velha: O Cemitério dos Livros Esquecidos. Aí, Daniel Sempere encontra um livro maldito que muda o rumo da sua vida e o arrasta para um labirinto de intrigas e segredos enterrados na alma obscura de Barcelona. Juntando as técnicas do relato de intriga e suspense, o romance histórico e a comédia de costumes, “A Sombra do Vento” é sobretudo uma trágica história de amor cujo eco se projecta através do tempo.

Opinião: Considero que os maiores inimigos de um livro acabam por ser as expectativas e o tempo disponível que o leitor tem para poder absorver a história como ela merece. Quantos livros foram “odiados” porque não foram lidos na altura certa. Acredito, talvez romanticamente, que os livros “chamam” pelos leitores. Um livro lido, na altura certa, com a atenção que merece, pode mudar vidas.

A Sombra do Vento era um livro do qual tinha enormes expectativas, desde a crítica especializada passando por amigos, toda a gente tinha adorado ler aquela história e todos me aconselhavam a sua leitura urgentemente.

Impulsionado por esse entusiasmo de todos, parti com esperança de que este livro iria talvez marcar a minha vida de forma inequívoca. E de facto, a história de Daniel Sempere encantou-me bastante, mas – e aí é que residiu a minha maior luta com este livro – o tempo disponível juntando ao cansaço, quer físico quer mental, impediu que a minha relação como leitor fosse ainda mais vibrante e mais especial, como a história merecia.

Digamos que sinto que se este livro, sem dúvida alguma uma história muito bem pensada, imaginativa e marcante, fosse lido numa outra altura, poderia ser um dos livros da minha vida, mas ficou por ser um dos livros mais interessantes que li nos últimos tempos.

Gostei bastante da escrita de Zafón, e da maneira como ele envolve o leitor na trama. Acho a personagem Daniel Sempere encantadora, assim como a história do seu amor; adorei também o ambiente meio gótico, meio fantástico e acho que a personagem Julian Carax poderia ter mais livros, porque existe espaço para uma história só dele, como por exemplo, uma biografia ficcionada. Por último, visitar Barcelona é um sonho que este livro quase nos impõe.

Provavelmente, irei ler mais livros de Zafon numa outra altura e, certamente, irei reler este livro um dia destes, porque, acredito, que esta história ainda me irá marcar muito. – Ricardo

Classificação: 5/5 – Adorei


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.