Home / 5/5 / [Opinião] Pequena Abelha, de Chris Cleave

[Opinião] Pequena Abelha, de Chris Cleave

Autor: Chris Cleave
Título Original: Little Bee/The Other Hand (2008)
Editora: ASA
Páginas: 272
ISBN: 9789892313177
Tradutor: José Vieira de Lima
Origem: Comprado

Sinopse: Não queremos contar-lhe O QUE ACONTECE neste livro. Esta é uma HISTÓRIA MESMO ESPECIAL e não queremos desvendá-la. 
Ainda assim, vai precisar de saber um pouco mais sobre ela para querer lê-la, por isso, vamos dizer apenas o seguinte: 
Esta é a história de DUAS MULHERES. Os seus destinos vão cruzar-se UM DIA e uma delas terá de fazer UMA ESCOLHA terrível, o tipo de escolha que ninguém deseja enfrentar. Uma escolha que envolve vida ou morte. DOIS ANOS DEPOIS, elas encontram-se de novo. É então que a história começa verdadeiramente… 
Depois de ler este livro, vai querer falar dele a TODOS OS SEUS AMIGOS. Quando o fizer, por favor, também não lhes diga o que acontece. Permita-lhes saborear a sua MAGIA.

Opinião: Já tinha este livro debaixo de olho mesmo antes de sair em Portugal, por isso quando saiu percebi que mais cedo ou mais tarde ia acabar por lê-lo. Depois da opinião entusiástica da Silent Raven, fiquei ainda mais curiosa e decidi comprá-lo na primeira visita à Feira do Livro de Lisboa e começar a lê-lo pouco tempo depois.

O livro é narrado na primeira pessoa, alternadamente do ponto de vista das suas personagens principais: Abelhinha e Sarah. Abelhinha é uma jovem nigeriana de 16 anos, demasiado adulta para a sua idade pela infância roubada, que se encontra em Inglaterra num centro de detenção para refugiados, e que no início da história consegue de lá sair depois de uma “prisão” de 2 anos. Sarah é uma inglesa de 31 anos, casada e com um filho, directora de uma revista de mulheres, e com uma vida sentimental bastante conturbada. Estas duas personagens, separadas por tantas diferenças, têm um ponto em comum no seu passado; um acontecimento que lhes deixou marcas indeléveis, e que condiciona o seu presente e o futuro.

Uma das coisas essenciais para que um relato na primeira pessoa funcione é que o autor consiga dar voz própria à sua personagem, de modo a que o leitor se consiga pôr na sua pele e viver os acontecimentos de forma semelhante. Penso que é muito fácil falhar neste objectivo, e é pior ainda se o autor se propuser a fazê-lo com duas personagens, neste caso com vozes tão distintas. Mas Chris Cleave fá-lo com mestria, de tal modo que basta abrir o livro num página aleatória e ler um pouco para se perceber qual é a personagem que está a “falar”.

Depois, o autor aborda temas interessantíssimos, como os dilemas dos refugiados e os problemas do frequentemente esquecido continente africano. Mas é também um livro que fala da amizade incondicional, da capacidade do ser humano de ultrapassar o egoísmo, que tantas vezes marca a nossa vida sem nos apercebermos, e de fazermos a diferença, por pequenos que possam parecer os nossos actos.

O gradual desvendar de acontecimentos passados, que origina o interesse constante no desenrolar do enredo, a ligação emocional que criamos com as personagens, especialmente com Abelhinha, e a forma emocionante como o autor escreveu este livro, transformaram-no numa leitura particularmente memorável. Recomendo sem reservas. 

Classificação: 5/5 – Adorei


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.