Home / 5/5 / [Opinião] Os Pilares da Terra – Volume 1, de Ken Follett

[Opinião] Os Pilares da Terra – Volume 1, de Ken Follett

Autor: Ken Follett
Título Original: The Pillars of the Earth (1989) – 1.ª metade
Editora: Editorial Presença
Páginas: 504
ISBN: 9789722337885
Tradutor: Alice Rocha
Origem: Comprado

Sinopse: Na Inglaterra do século XII, Tom, um humilde pedreiro e mestre-de-obras, tem um sonho majestoso – construir uma imponente catedral, dotada de uma beleza sublime, digna de tocar os céus. E é na persecução desse sonho que com ele e a sua família vamos encontrando um colorido mosaico de personagens que se cruzam ao longo de gerações e cujos destinos se entrelaçam de formas misteriosas e surpreendentes, capazes de alterar o curso da história.

Opinião: Impelida pela transmissão da série televisiva, comecei, finalmente, a ler Os Pilares da Terra, de Ken Follett, que, há muito, faziam parte da minha lista de pendentes. Desconhecia, até à data, a escrita do autor, mas a sua obra tinha-me chamado a atenção depois de várias críticas que li. Os Pilares da Terra são compostos por dois volumes: para já, o primeiro correspondeu em pleno às expectativas. É interessante, realista, surpreendente e transporta-nos a um mundo fabuloso na Idade Média, época que sempre me apaixonou.

Apesar da narrativa se iniciar em 1123, a acção é estendida até 1135, altura em que, efectivamente, a obra arranca para um conjunto de acontecimentos apaixonantes. Neste primeiro volume, o pano de fundo da acção é uma guerra civil, com vista à sucessão ao trono real, mas são, sobretudo, as estórias paralelas, de tão simples e traiçoeiras que são, que dão cor à obra. Nelas encontramos um grupo de personagens maravilhosas, cheias de complexidade, cada qual com um objectivo em mente.

Ao longo dos capítulos iniciais, o autor apresenta-nos vários núcleos: a gente modesta do povo, representada por Tom Pedreiro; o clero simples e lutador, encabeçado pelo Prior Philip, e o com grande ascendente na Realeza e sedento de poder, ilustrado pelos Bispos Henry e Waleran; a Nobreza ora decadente, de que Aliena e Richard são exemplos, ora desejosa de títulos, com a família Hamleigh à cabeça. Até que, inevitavelmente, os caminhos de uns acabam por se cruzar com os de outros. Num ambiente retratado de forma realista q.b., gera-se um verdadeiro turbilhão de sentimentos, onde, a cada surpresa desvendada, o leitor se aproxima cada vez mais das personagens, com as quais se identifica.

Este primeiro volume mostra-nos, por vezes, de forma demasiado vívida, quão cruéis os homens podem ser na busca pelo Poder, mas, também, quantos dão tudo o que têm em nome e pelos outros. No final desta primeira parte, o melhor elogio que posso fazer ao autor, e à obra, é de que sinto que Os Pilares da Terra caminham para se tornarem um dos meus livros favoritos. – Cristina

Classificação: 5/5 – Adorei


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.