2014 Reading Challenge

2014 Reading Challenge
Célia has read 0 books toward her goal of 75 books.
hide

Estou a Ler

Newsletter

Arquivo

Creative Commons License This blog by Estante de Livros is licensed under a Creative Commons Atribuição-Não a Obras Derivadas 2.5 Portugal License.

Visitas desde 20/07/2007

[Opinião] A Rapariga que Roubava Livros, de Markus Zusak

Wednesday, February 16, 2011 Post de Célia

Autor: Markus Zusak
Título Original: The Book Thief (2005)
Editora: Editorial Presença
Páginas: 463
ISBN: 9789722339070
Tradutor: Manuela Madureira

Sinopse: Molching, um pequeno subúrbio de Munique, durante a Segunda Guerra Mundial. Na Rua Himmel as pessoas vivem sob o peso da suástica e dos bombardeamentos cada vez mais frequentes, mas não deixaram de sonhar. A Morte é a narradora omnipresente e omnisciente e através do seu olhar intemporal, é-nos contada a história da pequena Liesel e dos seus pais adoptivos, Hans, o pintor acordeonista, e Rosa, a mulher com cara de cartão amarrotado, do pequeno Rudy, assim como de outros moradores da Rua Himmel, e também a história da existência ainda mais precária de Max, o pugilista judeu, que um dia veio esconder-se na cave da família Hubermann. Um livro sobre uma época em que as palavras eram desmedidamente importantes no seu poder de destruir ou de salvar. Um livro luminoso e leve como um poema, que se lê com deslumbramento e emoção.

 

Opinião: Se parto para um livro com demasiadas expectativas, normalmente saio desiludida. Felizmente, neste caso, apenas a primeira parte da regra se confirmou, porque de facto este é um livro que não vou esquecer durante muito tempo.

 

O cenário desta história é uma pequena localidade alemã em plena 2.ª Guerra Mundial. A protagonista é a pequena Liesel Meminger. A narradora é a Morte. A Morte traz até nós a história de Liesel, da sua família, das suas alegrias, tristezas e privações. Houve muitas coisas que gostei neste livro, mas este aspecto foi talvez o que mais me cativou. É uma voz peculiar, amiúde irónica e impessoal, mas outras tantas vezes emocionante e terna. Não deixa também de ser uma escolha interessante, tendo em conta que a morte é precisamente algo que sempre nos vem à memória quando nos lembramos deste conflito.

 

Liesel é uma criança especial. Aos 11 anos, o seu irmão mais novo morre e a mãe deixa-a com um casal que acolhe crianças, Hans e Rosa Hubermann. Apesar das dificuldades iniciais de adaptação e da relação mais difícil com Rosa, Liesel cria laços fortes com os dois, especialmente com Hans. A adaptação de Liesel é também facilitada pelo amor que descobre ter às palavras e aos livros, onde elas se entrelaçam para criar mundos mágicos nos quais Liesel gostaria de viver. Liesel rouba livros, mas não é algo patológico: a ânsia de aprender, de esquecer as dificuldades, e a impossibilidade que tem de os obter de outra forma, levam a jovem a ficar com livros que não lhe pertencem, resgatando-os de uma fogueira ou da biblioteca esquecida de pessoas que dão trabalho à sua mãe.

 

Ao mesmo tempo que acompanhamos o dia-a-dia de Liesel, Markus Zusak vai subtilmente complementando a história com uma galeria de personagens secundárias reais e bem desenvolvidas e com o contexto de privação, medo e opressão que então se vivia. Há momentos no livro em que pouco parece acontecer, o que de certo modo acaba por quebrar o ritmo da história, mas depois somos largamente recompensados com momentos de partir o coração e que dificilmente deixarão alguém indiferente – lembro-me, por exemplo, das marchas dos judeus.

 

Pela originalidade da voz narrativa, a envolvência da escrita de Markus Zusak, as personagens memoráveis e os momentos marcantes do enredo e pelas reflexões que traz ao leitor no que respeita à importância das palavras e aos extremos a que o ser humano pode chegar, este é um livro que recomendo sem quaisquer reservas. 

 

Classificação: 5/5 – Adorei

 


10 Responses to “[Opinião] A Rapariga que Roubava Livros, de Markus Zusak”

  1. Regina Gomes says:

    Olá:
    Eu também adorei este livro, é daqueles que nos penetra na alma…
    Sigo o V/ Blog e tenho adquirido alguns livros sugeridos por vós.
    Bjs

  2. Fernando says:

    Célia… gostei da indicação. Fiquei interessado em ler e conhecer mais a fundo a obra, tanto que coloquei-a em minha lista de livros a serem comprados.
    Assim como a Regina, também tenho acompanhado frequentemente as incidações do blog Estante de Livros. Sempre que posso dou uma passadinha por aqui.
    Abraço

  3. tonsdeazul says:

    É lindíssimo este livro.

  4. Cat SaDiablo says:

    Sabia que ias adorar :)
    Este livro é daqueles que incluo na categoria de “Aquecedor de Alma”. É um livro que nos toca profundamente e fica connosco. É um dos meus favoritos.
    Fiquei contente por teres apostado nele, não me canso de o recomendar (tenho sempre a sensação que ninguém o conhece!)

  5. ricardo says:

    Estou tão ansioso por ler este livro e agora estarei ainda mais. Sempre adorei livros com histórias passadas na 2ª guerra e já à muito tempo que o tenho desejado. Está para breve a sua aquisição.

  6. Pedro says:

    =) pois é, sabia que ias adorar!

    Não sei foi como aguentaste tanto tempo sem o ler hahaha

  7. Olinda Gil says:

    A minha mãe tem este livro e eu estou muito curiosa em lê-lo. Despertaste-me ainda mais a curiosidades!


Leave a Reply