2014 Reading Challenge

2014 Reading Challenge
Célia has read 0 books toward her goal of 75 books.
hide

Estou a Ler

Newsletter

Arquivo

Creative Commons License This blog by Estante de Livros is licensed under a Creative Commons Atribuição-Não a Obras Derivadas 2.5 Portugal License.

Visitas desde 20/07/2007

[Opinião] O Misterioso Caso de Styles, de Agatha Christie

Wednesday, January 26, 2011 Post de Célia

Autor: Agatha Christie
Título Original: The Mysterious Affair at Styles (1920)
Editora: RBA Coleccionables
Páginas: 198
ISBN: 9788447359073
Tradutor: Carlos Afonso Lobo

Sinopse: Uma viúva rica, Emily Inglethorp, casou com um homem vinte anos mais novo. A família pensa que ele apenas quer dar o golpe do baú… Uma noite, a velha senhora morre depois de terríveis convulsões e demonstra-se que foi envenenada com estricnina. Mas… por quem? Um misterioso testamento destruído, os cacos de uma chávena de café, uma mancha de cera e um canteiro recém-plantado com begónias… A isto se resumem os indícios, na realidade muito pouco para outro que não o genial detective belga Hercule Poirot.

 

Opinião: Depois de já ter lido vários livros da Agatha Christie, ao partir para uma nova história de sua autoria já sei mais ou menos o que esperar. E é precisamente por isso que estas leituras me agradam: são rápidas, interessantes e bem escritas. Gosto bastante do Hercule Poirot e neste novo mistério, é ele o detective, numa história narrada pelo seu companheiro Hastings (à semelhança dos contos que já tinha lido em As Investigações de Poirot). Foi o primeiro livro publicado por Agatha Christie e o primeiro onde apareceu o famoso detective belga.

 

Hastings vai passar uma temporada a Styles, em casa do seu amigo John Cavendish. Enquanto estava vivo, o pai de John casou com Emily Inglethorp; depois de ter falecido, as suas vastas posses passaram para o nome de Emily, que entretanto casou com um homem bastante mais novo. Sem ninguém esperar, Emily morre de aparente envenenamento. Junte-se a este cenário o estranho irmão de John, a empregada demasiado ciosa da sua patroa, uma jovem protegida de Emily, a bela mulher de John, que parece esconder muita coisa, e está construído o cenário típico das histórias policiais de Agatha Christie, que levam o leitor a uma viagem pelos avanços e recuos da investigação, fazendo-nos constantemente tentar adivinhar quem cometeu o crime e porquê.

 

Como já referi, a história é narrada por Hastings, que acaba por reflectir um pouco a ingenuidade do leitor comum perante os factos que vão sendo desvendados. Hastings apenas consegue ver o aparente e os pequenos detalhes importantes acabam por lhe passar despercebidos. Por vezes, quase parece que Poirot goza com as limitações de um Hastings bastante cheio de si, o que não deixa de ser divertido. A resolução do caso apenas é conhecida nas últimas páginas e, como é normal nesta autora, é bastante imprevisível. Agatha Christie sabe iludir o leitor como ninguém, e é este constante desafio às nossas capacidades de dedução que tornam os seus livros tão viciantes. 

 

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


  • http://estemeucantinho.blogspot.com/ WhiteLady3

    Já li este livro por duas vezes e a autora conseguiu surpreender-me, mesmo na segunda leitura! Estava segura de que sabia quem era o assassino, afinal já o tinha lido, mas Agatha é mesmo uma mestre neste género e fez-me duvidar de mim própria, pelo que fiquei na dúvida até ao final! :P

    Adoro o Hastings como narrador já que até certo ponto parece-me que todos os leitores seriam, ou são mesmo, como ele. :)

    • Estante de Livros

      Quando eu reler estes livros, daqui a uns anos, tenho a impressão que não vou conseguir adivinhar nem um dos assassinos! :D

  • http://amulhercerta.blogspot.com amulhercerta

    Bom dia Célia,

    mencionei o seu nome e este site no meu blogue (amulhercerta.blogspot.com). Passo a explicar, desde o inicio do ano que lancei um desafio a mim mesma lá no blogue, onde sou acompanhada pelos meus leitores. Ler 101 livros este ano. Sou questionada acerca da velocidade e até eu mesma cheguei a questionar a velocidade da Célia, mas é possível, portanto expliquei isso mesmo no blogue apresentando os seus dados. :)

    cumpts
    MC