Home / 5/5 / [Opinião] A Marca de Kushiel, de Jacqueline Carey

[Opinião] A Marca de Kushiel, de Jacqueline Carey

Autor: Jacqueline Carey
Título Original: Kushiel’s Dart (2.ª metade)
Série: Kushiel PT#2 | Kushiel #1.2
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 416
ISBN: 9789896372200
Tradutor: Teresa Martins de Carvalho
Origem: Recebido para crítica

Sinopse: Para trás ficaram Terre d’Ange e as intrigas palacianas, a Corte das Flores da Noite, os amados Delaunay e Alcuin, os amigos, patronos e tudo o que para Phèdre evoca a palavra “casa”… Para trás ficaram também a herdade e a familiaridade da sua ternura tosca, a gentileza das suas mulheres e a beleza das suas cantigas… Diante de Phèdre abre-se agora a incógnita de um destino de cativeiro às mãos do cruel Waldemar Selig, no ambiente hostil da sua herdade e das suas gentes… O desvendar da ameaça que paira sobre Terre d’Ange, dos planos de um poderoso comandante e dos traidores d’Angelines. Pela pena de Phèdre, afrontamos o Mais Amargo Inverno através da vastidão skáldica. O retorno a Terre d’Ange e a oportunidade de salvar tudo o que lhe é mais querido. Traição, guerra, desafio, imolação, amor e redenção. Logrará Phèdre fazer jus à Marca de Kushiel e concretizar esse sonho tão ansiado?

Opinião: A Marca de Kushiel, segundo volume da saga Kushiel, começa precisamente onde O Dardo de Kushiel terminou, ou não fosse a segunda parte do primeiro volume original. Quem vem acompanhando as minhas leituras sabe que já tinha lido este livro na sua versão original e que tinha gostado muito. Este livro foi, portanto, um exercício interessante de releitura a que, infelizmente, não tenho dedicado mais do meu tempo.

Se o primeiro volume consistiu mais numa introdução ao mundo criado pela autora, este apresenta um ritmo de acontecimentos mais acelerado e dinâmico. Phèdre e Joscelin passam por diversas aventuras e provações e vão encontrando outras personagens pelo caminho, que ajudam a enriquecer a história e a familiarizar o leitor com todos os costumes e regras não só de Terre d’Ange, mas também de outros países. No volume anterior, já tínhamos “visitado” Skaldia (país com tons nórdicos, correspondente à localização da Alemanha/Áustria), e desta vez temos oportunidade de vislumbrar Alba, a Inglaterra do mundo de Jacqueline Carey. É um livro que apresenta algumas surpresas e encruzilhadas aos nossos amigos, e o destino da vilã da história deixa o caminho aberto ao que se seguirá nos próximos volumes.

Gostei tanto da primeira leitura que tinha algum receio de voltar a ler e quebrar um pouco esse encanto. Contudo, e apesar de já saber à partida o rumo dos acontecimentos, foi um prazer voltar a esta autora e “reviver” a história e os desafios das personagens, aproveitando para tomar mais atenção a detalhes que me escaparam à primeira. Esta leitura foi, por isso, um enorme prazer, e vou aguardar pela publicação do 4.º volume em português para empreender a releitura do 2.º volume original. Mais do que recomendado! 

Classificação: 5/5 – Adorei

Livro n.º 94 de 2010


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.