Home / 8/10 / [Opinião] Um Violino na Noite, de Jojo Moyes

[Opinião] Um Violino na Noite, de Jojo Moyes

Autor: Jojo Moyes
Título Original: Night Music (2008)
Editora: Porto Editora
Páginas: 416
ISBN: 9789720045423
Tradutor: Isabel Alves
Origem: Recebido para crítica

Sinopse: Isabel Delancey, uma mulher frágil e ainda jovem, alheada das vicissitudes do dia-a-dia, vivia para a música – era violinista numa orquestra sinfónica.
O que a prendia à realidade era o amor que sentia por Laurent, o seu marido. Quando este morre num brutal acidente, Isabel vê-se obrigada a confrontar-se com a terrível situação financeira em que o marido deixou a família e a assumir o papel de mãe que sempre tinha sido desempenhado por uma ama.
A Casa Espanhola, uma propriedade que herda inesperadamente, sendo uma fonte inesgotável de problemas, vai ser ao mesmo tempo um desafio à sua coragem e determinação, transformando Isabel numa mulher madura.
Ali, vai encontrar uma solidariedade inesperada, um rancor visceral e o amor.

Opinião: Ora aqui está um livro que foi uma bela surpresa. Jojo Moyes já tinha um livro publicado em Portugal, Silver Bay – A Baía do Desejo (que tenho mas ainda não li), acerca do qual li opiniões positivas, por isso foi com alguma curiosidade que comecei esta leitura.

Um Violino na Noite centra a sua história em Isabel Delancey, mãe de dois filhos e apaixonada pela música, em particular pelo seu violino, que perde o seu marido num acidente de automóvel. A vida desafogada que levava, juntamente com a família, depressa se torna um pesadelo e Isabel vê-se obrigada a abdicar de muitos luxos para ela e os filhos poderem sobreviver. Neste contexto de ruína financeira, Isabel toma conhecimento que herdou uma casa de campo, a Casa Espanhola, por falecimento do seu dono, do qual era a parente mais próxima. Para fazer face aos variados problemas, Isabel decide vender a casa onde ela e os filhos habitavam e mudar-se para a Casa Espanhola.

No entanto, esta casa há vários anos era cobiçada por Matt e a sua mulher Laura, que tinham vindo a cuidar do velho dono na esperança que ele lhes deixasse a casa de herança. Perante este revés, e como a casa precisa de muitos melhoramentos, Matt oferece-se a Isabel para ficar encarregue de os fazer, mas a oferta não é inocente. Ao mesmo tempo, Nicolas Trent, um agente imobiliário caído na desgraça, depara-se com a Casa Espanhola numa das suas incursões pelo campo e vê nela a oportunidade para construir um empreendimento de luxo e voltar aos seus tempos áureos. Para além destas, temos ainda um leque bastante interessante de outras personagens: Byron, o homem torturado pelo passado, que apenas deseja começar uma nova vida ou o casal homossexual dono de uma mercearia na localidade e que se apresenta sempre prestes a ajudar. A própria Casa Espanhola é uma personagem do livro, beneficiando das descrições vívidas que a autora lhe oferece.

É um livro que fala de obsessões. Isabel está obcecada com o seu violino e Matt e Nicolas estão obcecados pela casa. A história fala da forma como lidam com as suas obsessões e se livram (ou não) delas. Outro aspecto sempre presente nesta história é o amadurecimento, o saber seguir em frente perante as adversidades e encontrar na vida aquilo que ela tem de bom.

Tal como disse no início da minha opinião, este livro foi uma excelente surpresa. Esperava uma história mais “cor-de-rosa” e menos densa psicologicamente, mas acaba por se revelar muito interessante sem se tornar muito exigente, e cativa o leitor, que não a consegue largar, apesar de não ser propriamente uma leitura compulsiva. Também não esperava uma escrita tão bem conseguida, poética a espaços e sempre com atenção aos detalhes, e que consegue recriar, de forma excelente, o ambiente que a autora se propôs transmitir. Só achei o final um pouco irreal e um tanto ou quanto apressado, mas ainda assim não foi o suficiente para retirar a boa impressão que me deixou. Uma autora a acompanhar. 

Classificação: 8/10 – Muito Bom

Livro n.º 48 de 2010


Sobre Célia

  • slayra

    Também fiquei muito surpreendida com o livro… como tu, esperava algo diferente. ^_^ Mas para mim foi uma leitura bastante compulsiva, tinha de saber o que se passava a seguir!

  • Vitória Queiroz

    Oi!
    já procurei esse livro em toooodas as livrarias próximas da minha casa e até pela internet mas não encontro. Sabe onde posso tá comprando?