Home / 8/10 / [Opinião] O Calafrio, de Henry James

[Opinião] O Calafrio, de Henry James

Autor: Henry James
Título Original: The Turn of The Screw (1898)
Editora: Publicações Europa-América (Bolso)
Páginas: 112
ISBN: 9789721050570
Tradutor: Lucília Maria de Deus Mateus Rodrigues
Origem: Comprado

Sinopse: Uma jovem preceptora aceita um cargo que lhe parece vir a ser ideal: o de cuidar de duas crianças órfãs, de grande docilidade, beleza e inteligência. Mas a sua felicidade com o lugar que conseguiu em breve vai desvanecer-se. Especialmente quando vê pessoas estranhas a rondar a casa à procura de algo ou de alguém. E especialmente quando vem a descobrir que essas pessoas estão mortas. O Calafrio é uma história de fantasmas, arrepiante e pouco convencional, onde os acontecimentos são abertos a diversas interpretações. São os fantasmas um perigo real para as crianças ou não passam do produto da imaginação de uma mulher solitária?

Opinião: O Calafrio, um clássico com mais de 100 anos, é uma das obras mais marcantes de Henry James. Este pequeno conto de terror conta a história de uma jovem que consegue um lugar de preceptora de duas crianças órfãs, numa antiga casa inglesa na localidade de Bly (Essex). Com instruções expressas para nunca incomodar o tio e guardião dos seus pupilos, a jovem compromete-se em levar a sua missão até ao fim. Quando conhece as crianças, Flora e Miles, a preceptora acredita que a sorte a abençoou, pois elas são as mais angélicas e bondosas das criaturas.

No entanto, a jovem cedo perde as suas expectativas de felicidade em Bly, assim que começa a ter estranhas visões. Com uma regularidade assustadora, começa a ver pessoas a rondar a casa – pessoas que estão mortas. Embora nunca tenha acreditado em fantasmas anteriormente, à medida que conhece a história da casa e das pessoas que nela viveram, começa a suspeitar de que algo está tremendamente errado. O mal está presente e até as crianças parecem ter consciência disso. O horror cresce quando consegue descobrir a aparente razão por detrás destas visões.

Contado na primeira pessoa, neste caso na perspectiva da própria preceptora, o leitor apenas sabe dos factos que são por ela narrados. E enquanto vemos todas as situações através dos seus olhos, há elementos que estão claramente (talvez propositadamente) fora do nosso alcance e poderão escapar ao nosso pensamento. Assim sendo, é legítimo pensar-se se, de facto, as suas visões são verdadeiras e estamos na presença de fantasmas ou se são apenas fruto da sua fértil imaginação.

Objecto de aceso debate ao longo dos anos, O Calafrio, que inicialmente pode parecer uma típica história de fantasmas, é uma narrativa complexa e aberta a diferentes interpretações. Num cenário surrealista e com uma escrita em ritmo lento mas sublime, cabe a cada leitor encontrar o seu fantasma neste brilhante conto. O final exige uma ou várias releituras – e provoca um verdadeiro arrepio – para que o mistério intemporal que James nos deixou em herança possa ser inteiramente entendido. Esta obra insere-se naquela que é considerada como a segunda fase da sua obra literária, caracterizada sobretudo pela criação de pequenos contos e peças de teatro.

O livro teve já diversas adaptações, sobretudo cinematográficas, e entre elas estão: uma adaptação para a televisão britânica em 1999, The Turn of the Screw, com Colin Firth como o guardião (master) das crianças; o filme The Others (Os Outros) em 2001, que foi parcialmente baseado no livro e teve Nicole Kidman como protagonista; e ainda, em 2006, o filme In a Dark Place (Lugares Escuros) com Leelee Sobieski. – Sofia Martins

Classificação: 8/10 – Muito Bom


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.