Home / 9/10 / [Opinião] A Vida e o Tempo de Michael K, de J.M. Coetzee

[Opinião] A Vida e o Tempo de Michael K, de J.M. Coetzee

Autor: J.M. Coetzee
Título Original: Life & Times of Michael K (1983)
Editora: Dom Quixote
Páginas: 209
ISBN: 9789722034869
Tradutor: Ricardo Fernandes
Origem: Recebido para crítica

Sinopse: Numa África do Sul despedaçada pela guerra civil, Michael K empreende uma perigosa viagem para realizar o último desejo da sua mãe enferma: regressar à terra que a viu nascer. Durante o caminho, porém, ela acaba por falecer, deixando-o sozinho num mundo anárquico regido por grupos militares errantes e violentos. Aprisionado, Michael é incapaz de tolerar a reclusão e foge, determinado a viver com dignidade. Este romance de afirmação da existência vai à essência da experiência humana – a necessidade de uma vida interior, espiritual, de algumas ligações ao mundo em que vivemos e de uma pureza de entendimento.

Opinião: J. M. Coetzee é,  já o afirmei, dos meus romancistas favoritos, e à medida que o vou lendo, e conhecendo melhor a sua obra, mais admirador fico de um escritor que consegue transmitir uma imensa luminosidade nos seus romances.

Mesmo que, às vezes, os seus livros possam ser negros, transmitindo uma tristeza e onde a luta pela sobrevivência e a solidão dão o verdadeiro mote à história, existe sempre uma esperança no ser humano e na sociedade em que ele se insere.

Michael K vai ficar na história como uma das personagens que mais me marcaram, a sua força e esperança no ser humano, a vontade de ultrapassar as dificuldades, a maneira como consegue contornar as adversidades de uma vida que lhe foi difícil desde que nasceu. Coetzee construiu uma personagem que me fascinou imenso.

A história conta a vida de Michael K, um menino que nasceu com uma deficiência nos lábios que iria marcar a sua relação com o mundo, quer na infância, quer no resto da sua vida. Depois de lermos o seu início de vida, vamos acompanhando a sua tentativa de concretizar o último desejo da sua mãe: fazer com que ela morra na sua terra natal.

Posteriormente, e após o falecimento da sua mãe, acompanhamos a sua luta pela sobrevivência, numa terra onde a guerra devastava tudo e alargava desigualdades, contando também um pouco da história recente da África do Sul. A escravidão, a corrupção da polícia, os campos de reclusão, a xenofobia, o racismo, são algumas das coisas abordadas neste livro.

Pelo meio, ainda acompanhamos um diário do médico do campo de reclusão onde Mickael K foi detido, que o tenta perceber, e salvar também, enquanto faz reflexões sobre a vida. Escrito sempre de forma simples e crua, sem descrições longas e aborrecidas, é um livro que “ apetece”. Apetece ler novamente, apetece que a história não tenha fim e apetece estar sempre ao nosso lado para podermos perceber o que de melhor, e pior, tem o ser humano. – Ricardo

Classificação: 9/10 – Excelente


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.