Home / 5/10 / [Opinião] Vejo-te em Todo o Lado, de Julia Glass

[Opinião] Vejo-te em Todo o Lado, de Julia Glass

Autor: Julia Glass
Título Original: I See You Everywhere (2008)
Editora: Civilização Editora
Páginas: 308
ISBN: 9789722627825
Tradutor: Sofia Castro Rodrigues
Origem: Comprado

Sinopse: Louisa e Clem são duas irmãs que se amam cada vez mais à medida que a distância física as separa. Louisa é a irmã mais velha, a estudante conscienciosa e meticulosa, aquela que deseja um bom casamento, uma carreira, uma família. Clem, o protótipo da irmã mais nova, é a rebelde: impetuosa, iconoclasta, empenhada no seu trabalho mas não nos homens que por ela se apaixonam. Alternado pelas vozes das duas irmãs, Vejo-te em Todo o Lado começa quando elas estão na casa dos vinte anos e desenvolve-se ao longo das suas vidas numa história intensa e arrebatadora sobre aquilo que conseguimos ou não fazer pelas pessoas que amamos. Marcado pelos pormenores sensitivos e pelas descrições cativantes que caracterizam a obra de Julia Glass, Vejo-te em Todo o Lado é um retrato duplo impressionante e comovedor que revela a natureza das relações entre irmãs.

Opinião: Depois de lermos um livro que nos encantou, torna-se difícil escolher o seguinte. Andei de volta das minhas estantes, indecisa, a pensar em qual dos livros “por ler” manteria a fasquia tão alta. A decisão recaiu sobre Vejo-te em Todo o Lado, de Julia Glass. Era um livro cuja sinopse, bem como a capa, me tinha apaixonado, mas, infelizmente, ficou muito aquém do que esperava.

A obra é uma narrativa contada a duas vozes: as irmãs Louisa e Clem. Cada qual faz a sua apresentação ao leitor, tentando mostrar a sua visão das suas vidas e da família de ambas. A forma como se vão retratando denota a intenção de ambas em cair nas boas graças do leitor, ainda que, na minha opinião, seja difícil criar afinidades com elas.

Um acontecimento pessoal da vida de Louisa é o mote para o desenrolar da trama, durante a qual vamos conhecendo as aventuras, os dramas e as diferenças entre as irmãs. É nesses contextos que o leitor melhor distingue/compreende a forte ligação que une, e simultaneamente separa, as duas personagens principais. Por tudo isto, a obra acaba por se centrar, excessivamente, nas duas irmãs, pecando por falta de desenvolvimento. Do mesmo modo, por vezes, a escrita/narração dá até azo a confusões, dado que só no final do capítulo ou depois de algumas páginas, percebemos qual das personagens está a “falar”.

Um retrato de vida é, muitas vezes, apelativo, mas, neste livro, o relato das personagens tem pouca chama e emoção. A forma de partilha com o leitor é simples, como se fossem apenas juntando as peças para que o leitor compreenda um puzzle. Tudo parece demasiado primário e previsível e, a certa altura, o leitor vê-se enredado numa teia sem dinâmica. – Cristina

Classificação: 5/10 – Razoável


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.