Home / 7/10 / [Opinião] The Thief, de Megan Whalen Turner

[Opinião] The Thief, de Megan Whalen Turner

Autor: Megan Whalen Turner
Série: The Queen’s Thief #1
Editor: Eos
Páginas: 280
ISBN: 9780060824976
Origem: Comprado

Sinopse: I can steal anything.
After Gen’s bragging lands him in the king’s prison, the chances of escape look slim. Then the king’s scholar, the magus, needs the thief’s skill for a seemingly impossible task — to steal a hidden treasure from another land.
To the magus, Gen is just a tool. But Gen is a trickster and a survivor with a plan of his own.

Opinião: Após ter lido opiniões muito positivas sobre este livro, que é o primeiro da trilogia The Queen’s Thief, decidi lê-lo. Basicamente, a história decorre num mundo muito semelhante à antiga Grécia e leva-nos a percorrer 3 reinos vizinhos, Sounis, Eddis e Attolia, separados por várias crenças mas obrigados a relacionarem-se de modo a sobreviverem. A personagem principal deste livro, e a que o narra na primeira pessoa, é Gen, que se encontra na prisão do rei de Sounis após ter roubado o selo do Rei e se ter gabado do feito descuidadamente. Já farto de estar na prisão e a pensar que lá ficaria indefinidamente, Gen é subitamente chamado à presença do mago do Rei, que lhe propõe roubar um artefacto mítico muito poderoso, sendo o castigo a pena de morte para o caso de Gen declinar a “proposta”. Gen alinha na missão, e parte com o mago e 3 companheiros nesta jornada que o levará a percorrer os 3 reinos que referi. Ao longo da viagem, ficamos a conhecer mais detalhes destes reinos, as relações entre eles e toda a sua mitologia, que dá especial ênfase aos deuses e às histórias da criação da Terra (muito interessantes as histórias que vão pontuando a narrativa).

O livro é muito fácil de ler e nota-se claramente que é dirigido a um público young adult. Ao ler o livro, e sendo contado na primeira pessoa por Gen, estava constantemente com a sensação que a personagem estava a ser pouco desenvolvida e achava isso ainda pior porque estamos a falar do narrador, a cujos pensamentos supostamente tínhamos acesso. E comecei a relacionar esta “falha” ao público-alvo a que se dirige o livro, mas estava errada. Esta aura de mistério em redor da personagem, apesar de a história ser contada por ele, é necessária para o twist final, que me surpreendeu bastante. Ainda assim, não nego que gostaria de ter “entrado” mas na cabeça de Gen, sem comprometer o desenlace que a autora guardava para o final. E, apesar de algum nível de detalhe, também teria gostado de saber mais sobre a história e costume dos 3 reinos.

Resumindo, foi uma leitura agradável, que acabou por me surpreender mais do que o desenrolar da história deixava antever. Apesar de não ter sido daqueles livros que marcaram profundamente, fiquei com vontade de ler os dois livros seguintes, The Queen of Attolia e The King of Attolia

Classificação: 7/10 – Bom


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.