Home / 8/10 / [Opinião] Até que o Rio nos Separe, de Charles Martin

[Opinião] Até que o Rio nos Separe, de Charles Martin

Autor: Charles Martin
Título Original: Where the River Ends (2008)
Editor: Porto Editora
Páginas: 392
ISBN: 9789720041777
Tradutor: Ana Reis
Origem: Recebido para crítica
Sinopse: Doss Michaels nasceu e cresceu num parque de caravanas junto ao rio St. Mary e tenta sobreviver como pintor. Abigail Coleman é a única e lindíssima filha do mais poderoso senador da Carolina do Sul. Um único encontro foi suficiente para perceberem que ficariam juntos para sempre.
Após dez anos de casamento, Abbie debate-se com uma doença terminal. Sempre a seu lado, Doss trava com ela uma terrível batalha pela vida.
Quando Abbie elabora uma lista de dez coisas que gostava de fazer antes de morrer, Doss tudo faz para a ajudar a concretizar os seus desejos.
E, antes que seja tarde de mais, partem juntos para a viagem das suas vidas.

Opinião: Abbie Coleman encontra-se na fase final de uma luta de quatro anos contra um cancro. Todas as tentativas de tratamento foram esgotadas e resta-lhe muito pouco tempo. É então que, para cumprir uma lista de 10 desejos, o seu marido Doss Michaels a leva numa viagem de canoa pelo rio St. Marys, fronteira entre a Georgia e a Florida, contra a vontade da sua família, em especial do pai de Abbie.

Ao longo dessa viagem cheia de dificuldades, os dois irão encontrar o melhor e o pior do ser humano, à medida que o seu caminho se cruza com várias personagens. O próprio rio é transformado numa, com o seu percurso sinuoso, as dificuldades que apresenta e a paz que transmite. O livro é narrado na primeira pessoa por Doss, e os capítulos vão alternando entre o presente, com o relato da viagem pelo rio, e o passado, desde a infância de Doss, como conheceu Abbie e a sua luta contra a doença.

Gostei muito da voz de Charles Martin e da forma como conta a sua história. O acontecimento central do livro, a doença e morte iminente de Abbie, é pesado e nem sempre fácil de encarar, mas a mensagem transmitida é uma mensagem positiva, de esperança… coisa muitas vezes difícil de encontrar quando se enfrenta esta doença terrível. A parte final deixa um nó na garganta e lágrimas nos olhos, mas apesar disso, um livro que nos emociona a esse ponto nunca poderá ser mau ou mal escrito. Bem pelo contrário. É uma história muito bonita e uma lição de vida. Fiquei com bastante vontade de ler mais deste autor, que já tem outro livro publicado em Portugal, pela Casa das Letras: Até que o Amor me Encontre (Chasing Fireflies), que também já adquiri. 

Classificação: 8/10 – Muito Bom


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.