Home / 7/10 / [Opinião] A Fantástica Aventura dos Anões da Luz – Em Busca de Sulti, de Catarina Coelho

[Opinião] A Fantástica Aventura dos Anões da Luz – Em Busca de Sulti, de Catarina Coelho

Autor: Catarina Coelho
Ano de Publicação: 2008
Editor: Chiado Editora
Páginas: 139
ISBN: 9789898222015
Origem: Recebido para crítica
Sinopse: Esta é a história de uma comunidade de anões, os Anões da Luz, que possui uma magia muito poderosa (a qual eles não sabem utilizar a não ser para fazer o bem), e vive em harmonia, na sua aldeia, longe de todo o mal e sem ter sequer a verdadeira consciência de que, fora da sua comunidade, há seres muito diferentes deles, seres capazes de fazer o mal para atingir os seus fins. O responsável pela poderosa magia deste grupo de anões é Sulti, o feiticeiro da comunidade, sem a presença do qual a magia não funciona. Um dia, a aldeia dos Anões da Luz é invadida por um grupo de homens, que querem raptar o feiticeiro, para assim obter a magia dos anões e o poder que esta confere. Os anões tentam defender-se usando a magia, mas, perante a assustadora visão das armas e do que estas são capazes de fazer (os anões não faziam ideia de que existiam tais objectos), o feiticeiro não consegue pôr em prática a sua magia e acaba por ser raptado pelos homens. É assim que um grupo de anões decide deixar os restantes habitantes da comunidade e partir numa perigosa viagem…

Opinião: A última Feira do Livro de Lisboa foi o palco escolhido para o 1.º encontro do nosso fórum, que serviu de mote à comemoração do seu 1.º aniversário e de pretexto para podermos finalmente encontrar-nos e trocar ideias pessoalmente. Infelizmente, escolhemos o único dia da Feira em que choveu (que pontaria…), mas isso não impediu que tivéssemos passado um bom bocado juntos, no meio dos nossos queridos livros. Um dos membros do fórum que compareceu ao nosso encontro foi a Catarina Coelho, autora do livro de que vos vou falar hoje, e uma pessoa super simpática, que levou um exemplar para cada um de nós, originando uma sessão de autógrafos espontânea e improvisada (mas bastante mais atenciosa que muitas das oficiais que por lá decorreram).

Este livro, que tem um público-alvo juvenil mas que pode ser lido por todos, conta a história de uma comunidade de anões envolta em magia, que se vê subitamente sem o seu líder e mentor, Sulti, que é raptado por homens sedentos do poder que podem alcançar através da sua magia. Depois do rapto, um conjunto desses anões decide partir em busca de Sulti, enfrentando pelo caminho diversos perigos, criaturas mágicas e amigos nos sítios mais inesperados.

O livro está escrito num tom muito cuidado e carinhoso e, apesar de ser notória a inspiração em autores como Tolkien, por exemplo, a Catarina consegue criar o seu próprio mundo e descrevê-lo com a sua própria voz. É daqueles livros que apetece abrir e ler a uma criança todas as noites, antes de dormir. Apesar de ter gostado deste livro, confesso que fiquei muito curiosa por saber como a Catarina se irá sair num livro de fantasia mais adulto (fico à espera!).

Uma nota final: a participação na comunidade literária da blogoesfera (e mesmo fora dela) tem-me permitido tomar conhecimento de vários escritores portugueses que lutam pelo seu lugar ao sol, e muitos deles não chegam sequer a conseguir publicar um livro em seu nome. Tendo isso em atenção, não deixa de ser irónico ver artigos como este e perceber que há editoras que apostam em publicar autores não pela sua qualidade literária, mas pelo potencial sucesso de vendas que o seu mediatismo gera. Nada contra, até porque as editoras são empresas e precisam de sobreviver, mas fica a questão: não existirá espaço para todos? Aqui deixo a minha solidariedade e incentivo para quem sonha publicar um livro e tem talento para tal. 

Classificação: 7/10 – Bom


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.