Home / 8/10 / [Opinião] Aprendiz de Assassino, de Robin Hobb

[Opinião] Aprendiz de Assassino, de Robin Hobb

Autor: Robin Hobb
Título Original: Assassin’s Apprentice (1995)
Série: Saga do Assassino #1, Farseer Trilogy #1| Realms of the Elderlings #1
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 382
ISBN: 9789896370640
Tradutor: Orlando Moreira
Origem: Recebido para crítica

Sinopse: O jovem Fitz é filho bastardo do nobre Príncipe Cavalaria e cresce na corte do Rei Sagaz. Marginalizado por todos, o rapaz refugia-se nos estábulos reais, mas cedo o seu sangue revela o Talento mágico e, por ordens do rei, é secretamente iniciado nas temidas artes do assassino. Quando salteadores bárbaros atacam as costas, Fitz enfrenta a sua primeira e perigosa missão que o lançará num ninho de intrigas. E embora alguns o encarem como uma ameaça ao trono, talvez ele seja a chave para a sobrevivência do reino. Com uma narrativa povoada de encantamentos, heroísmo e desonra, paixão e aventura, o Aprendiz de Assassino inicia um das séries mais bem-amadas da fantasia épica.

Opinião: Aprendiz de Assassino é o primeiro volume d”A Saga do Assassino. O segundo volume, cujo lançamento está previsto para Maio deste ano, terá o título O Punhal do Soberano.

Nesta primeira parte da história, acompanhamos Fitz desde que, em criança, é deixado na corte para ser criado como bastardo de um dos príncipes. A partir daí, o jovem rapaz tem de lidar com a solidão a que é votado e com o Talento que possui. Ao mesmo tempo, surge o misterioso Breu que irá ensiná-lo todos os truques para se tornar num assassino. A verdade é que os conhecimentos recém-aprendidos por Fitz serão necessários mais cedo do que ele julgava, quando o território dos Seis Ducados começa a ser atacado por habitantes das Ilhas, que sequestram habitantes de várias aldeias, devolvendo-os vazios de sentimentos humanos. Para além da ameaça externa, haverão ainda lutas interiores pelo lugar de herdeiro do Rei Sagaz, nas quais Fitz também estará envolvido.

Apesar de alguns momentos mais parados, que servem essencialmente para a construção de personagens, este livro foi uma leitura muito agradável e emocionante. Gostei imenso da história de uma maneira geral e de alguns detalhes em particular, como o facto de a grande maioria das personagens ter nomes de alguma forma relacionados com as suas personalidades (por exemplo, Rei Sagaz, Príncipe Veracidade ou Dama Paciência), ou a presença de um pouco da história dos Seis Ducados no início de cada capítulo. Também gostei imenso da ligação profunda de Fitz com vários animais.

Apreciei muito a forma como a Robin Hobb escreve o seu livro, utilizando a voz de Fitz na primeira pessoa. A forma como a história é contada acompanha, por assim dizer, as várias fases do seu crescimento, no sentido em que cada passo reflecte o estado de maturidade da personagem principal. É uma escrita envolvente e que vai crescendo no leitor ao longo do livro. Criamos laços fortes não só com Fitz, mas com muitas outras personagem que o rodeiam… Gostei especialmente do Príncipe Veracidade e de Breu. No final, o epílogo deixa a sede pela leitura do próximo volume, cujas páginas estou ansiosa por folhear. 

Classificação: 8/10 – Muito Bom


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.