Home / 7/10 / [Opinião] Palomar, de Italo Calvino

[Opinião] Palomar, de Italo Calvino

Autor: Italo Calvino
Título Original: Palomar (1983)
Editora: Planeta DeAgostini
Páginas: 138
ISBN: 9789727474769
Tradutor: João Reis
Origem: Comprado
Sinopse: Será possível encontrarmos um sentido nas coisas, no mundo à nossa volta? E dentro de nós próprios? O Sr. Palomar está muito longe de ter alguma certeza quanto a tudo isso. Todavia, continua à procura. Narrativa fascinante- autêntico testamento literário de um dos maiores escritores da segunda metade do século XX-, esta obra conduz o leitor através de um inquérito de resultados supreendentes: o Sr. Palomar é sem dúvida o autor, mas não só. Somos todos nós, os leitores deste livro empolgante.
Opinião: A primeira sensação que tive quando acabei de ler Palomar, de Italo Calvino, foi mesmo que, numa outra altura da minha vida, iria, certamente, relê-lo. E, talvez, com essa releitura, iria apreciar esta obra duma outra maneira, duma maneira quiçá mais “madura”, porque este livro merece ser lido com tempo (certamente irei relê-lo numa altura de férias), pensado, discutido e depois ser-lhe feita uma reflexão mais séria.

Digamos que, envolvido que estou no rebuliço dos dias e na falta de tempo, a altura para o ler não terá sido a melhor, e talvez desse mais valor a um livro mais “imediato” e não a um que necessita de ser lido com mais tempo, como refiro atrás.

Não quero dizer com isto que “Palomar” seja um mau livro, com uma história complicada, difícil, muito antes pelo contrário, a história, ou melhor, o conjunto de histórias de tão simples que são, merecem serem melhor percebidas, melhor discutidas e isso apenas com tempo e com uma reflexão. Não é à toa que eu considero o final muito melhor do que o seu início, provavelmente já me estava a habituar ao seu estilo, embora me pareça que no último capítulo tenha as reflexões mais pessoais com as quais acabamos por nos identificar depressa.

O livro gira à volta do Sr. Palomar e das suas “aventuras”, que acabam sempre numa reflexão filosófica. Ele está dividido em 3 capítulos, “As férias de Palomar”, “Palomar na cidade” e “Os silêncios de Palomar”, que depois estão subdivididos em pequenas histórias, onde descobrimos alguns sentidos às coisas mais mundanas do mundo.

Foi o primeiro livro de Calvino que li, certamente irei voltar a ler mais obras suas, principalmente as mais conhecidas.

Simples, muito narrativo e com reflexões merecedoras de destaque, é um livro que nos ajuda a ver o mundo com outros olhos e a reparar nas coisas mais simples que, muitas vezes, nos passam ao lado. – Ricardo

Classificação: 7/10 – Bom

 


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.