2014 Reading Challenge

2014 Reading Challenge
Célia has read 0 books toward her goal of 75 books.
hide

Estou a Ler

Newsletter

Arquivo

Creative Commons License This blog by Estante de Livros is licensed under a Creative Commons Atribuição-Não a Obras Derivadas 2.5 Portugal License.

Visitas desde 20/07/2007

[Opinião] Contos, de Eça de Queiroz

Monday, February 9, 2009 Post de Célia
Autor: Eça de Queiroz
Ano de Publicação Original: 1902
Editora: Livros do Brasil
 
 
 
Opinião: A segunda leitura conjunta que fizemos no nosso fórum levou-me à primeira leitura do ano da autoria de um escritor português. E que melhor opção do que o genial Eça de Queiroz?
 
 
Contos é uma obra póstuma, datada de 1902, que agrega 13 contos (12 na realidade, uma vez que “Outro Amável Milagre” é a versão condensada de “O Suave Milagre”), vários deles publicados em jornais ou revistas.

 

Os contos presentes neste livro abordam inúmeras temáticas e possuem estilos diversos, mas as imagens de marca de Eça estão quase sempre presentes: a prosa descritiva, a crítica à sociedade, a desilusão do amor e a religião. Vários contos têm também um tom levemente humorístico, que os tornam absolutamente deliciosos. Outra grande mais-valia deste livro é precisamente a diversidade: contos mais curtos ou mais longos, finais felizes e finais infelizes, crítica à religião e ênfase na pureza dos sentimentos cristãos. Apesar disso, os sentimentos humanos e a dor estão invariavalemente presentes. No conto “O Defunto”, temos mesmo uma “piscadela” a alguns elementos de terror.

 

Gostei da grande maioria dos contos, mas o meu preferido foi “A Civilização”, a história de um homem que, apesar de rodeado pelo último grito das tecnologias, apenas consegue encontrar a sua felicidade no campo, no meio da natureza. Este conto foi a génese do que mais tarde se tornou no livro “A Cidade e as Serras”.

 

Mais uma vez, foi muito gratificante a experiência da leitura conjunta. Permitiu-me analisar os contos de uma forma mais crítica, bem como o desvendar do objectivo a que Eça se propôs quando escreveu cada um deles. Para além disso, a leitura deste livro teve o condão de me despertar a vontade de ler (ou reler) mais livros do Eça, sem dúvida um dos maiores escritores que o nosso país já conheceu. 

 

Classificação: 8/10 – Muito Bom

 


  • Cristina

    Ainda não li este livro do Eça, mas tenho de o fazer. Este autor português é simplesmente imperdível. Sabe escrever e, acima de tudo, sabe usar a escrita para nos fazer pensar e criticar todo um conjunto de elementos que nos rodeia. Ainda bem que Eça não te desiludiu.

  • Maria Manuela

    Olá!
    As Marias atribuíram um prémio a este blog.
    Visita-nos em http://www.leiturasdasmarias.blogspot.com
    Até breve!

  • Alice

    Ainda não li os Contos de Eça mas decerto o farei. Para mim, a par de Ramalho Ortigão (com quem aliás escreveu As Farpas) é dos melhores escritores portugueses de sempre e o mais incrível é que a actualidade das suas obras e daquele seu sentido de humor tão próprio se mantém.

  • Miss Alcor

    Adoro o Eça. Os Maias é um dos melhores livros de todo o sempre.
    Queria bastante participar nesta leitura, porque nunca fiz uma leitura conjunta, mas apesar de ter alguns livros do Eça, o “Contos” não faz parte da minha biblioteca…
    Espero dar o meu contributo na próxima.

  • Menphis

    Do Eça lembro-me sempre de 3 coisas:

    - do prazer e do divertimento que foi ler ” A Reliquia”
    - que pouco mudou o país qeue ele gozava. E o que mudou foi para pior.
    - e que sou natural da mesma terra dele: Póvoa de Varzim LOL

  • Pedro

    Eu adoro Eça de Queirós. Talvez tenha sido o grande escritor que me impulsionou para a leitura de grandes romances (e até da escrita). Para mim, este é simplesmente um dos maiores e melhores escritores de todos os tempos.

    Já li várias obras dele e nenhuma me desiludiu. Amei cada uma: “O Primo Basílio” (talvez o meu “primeiro romance” e fiquei perdidamente apaixonado!), “A Capital” (que me surpreendeu ao exceder as expectativas! Adorei!), “O Crime do Padre Amaro” (notoriamente um grande, grande romance), “A Relíquia” (verdadeiramente divertido e agradável, como o Menphis disse!), “A Cidade e as Serras” (que mais pedir do que aquelas descrições…), além de contos como “Alves e Companhia” (verdadeiramente curioso), “O Mandarim” (mágico…) e “O Conde de Abranhos” (o único que não gostei, demasiada política para mim).
    Quanto a estes “Contos”, li alguns separadamente… por exemplo, “O Tesouro”, “A Aia”, “Civilização”, “Suave Milagre”, de momento os únicos que me lembro.

    É mesmo genial ;) Sei que já estou farto de repetir, mas idolatro Eça! Poucos escritores conseguem fazer-nos sentir tão inspirados.

    Tenho muita pena de não ter participado na leitura conjunta =(( Gostei muito da anterior, mas realmente nesta dificilmente conseguiria dar tanta atenção e dedicação como queria =( Espero sinceramente que na próxima consiga participar! As leituras são um sucesso =)

  • tonsdeazul

    Eça de Queiroz é sem dúvida uma grande referência da literatura portuguesa, que eu gosto imenso.
    Pois é em nove livros, conta-se finalmente um português! :) Já agora porque não mais leituras de autores portugueses?

  • Canochinha

    tonsdeazul, é verdade que poderia ler mais escritores portugueses… mas simplesmente não tem calhado. Também confesso que grande parte da minha biblioteca é de escritores estrangeiros, mas vou tentar alterar um pouco a situação ;)

  • Menphis

    TONS DE AZUL, é verdade, ás vezes nem nos apercebemos que lemos apenas autores estrangeiros quando temos muitos portugueses de valor. Eu, por exemplo,já decidi, que tentarei, talvez neste Verão, descobrir 3 portugueses: Virgilio Ferreira, Aquilino Ribeiro e , principalmente, Agustina Bessa Luís. Já agora tens alguns conselhos de livros por onde começar destes autores ?

  • tonsdeazul

    Era o que eu imaginava, Canochinha. :) Que não tinha calhado, mas fico contente em saber que vais tentar alterar a situação. Até porque considero que temos bons escritores. Nas minhas estantes tento ter um equilíbrio entre portugueses e estrangeiros.

    Menphis é bem verdade que a maioria os esquece.
    De Vergílio Ferreira gostei imenso da “Aparição” e Manhã Submersa”.
    Não li nada ainda de Aquilino Ribeiro e de Agustina apenas li “A Sibilia”, que tem uma boa história.
    Aconselho também Saramago, José Luís Peixoto, Camilo Castelo Branco, Herberto Helder, José Rodrigues Miguéis…

  • Menphis

    tonsdeazul – Também gostei de Aparição”tenho de o reler. E da Agustina toda a gente me aconselha esse.

    Quanto a outros autores portugueses, Saramago é o meu favorito, mas também gosto de Lobo Antunes, Eça, Rodrigo Guedes de carvalho, José Luis Peixoto, Gonçalo M Tavares, entre muitos outros, isto sem esquecer Fernando Pessoa

  • tonsdeazul

    É por ser o mais conhecido dela, Menphis. :)
    Eu aprecio imenso Saramago e Peixoto. Lobo Antunes ainda estou a descobrir. Fernando Pessoa é um génio, equiparável ao Eça.

    Agora outro assunto… Por acaso já ouviram falar de uma colecção que vai sair esta semana com a Visão? Intitula-se frente e verso e penso que é um livro que de um lado tem o lado poético do escritor e do outro o lado narrativo. Ainda a pesquisar, mas não sei nada mais…

  • Canochinha

    tonsdeazul, ainda não ouvi falar dessa colecção… mas vou ver se consigo encontrar alguma coisa ;)

  • Canochinha

    tonsdeazul, vê aqui a lista: http://sombradoslivros.blogspot.com/ ;)

  • tonsdeazul

    :) Vou já cuscar. Obrigada!