Home / 8/10 / [Opinião] Caos Calmo, de Sandro Veronesi

[Opinião] Caos Calmo, de Sandro Veronesi

Autor: Sandro Veronesi
Título Original: Caos Calmo (2005)
Editora: Edições ASA
Páginas: 400
ISBN: 9789892302119
Tradutor: Regina Valente
Origem: Passatempo
Sinopse: Enquanto Pietro Paladini salvava uma desconhecida de morrer afogada na praia, a sua mulher morria perante os olhos incrédulos de Cláudia, a filha de ambos. A partir desse dia, tudo muda. Pietro decide não voltar trabalho e começa a passar os dias sentado em frente à escola da filha. Mas a dor e o luto pela mulher parecem não o afectar como seria de esperar. A sua vida continua, ainda que agora num novo e inusitado cenário, que, por sua vez, exerce um fascínio inexplicável sobre os novos e os velhos amigos, o irmão, a cunhada e os colegas de trabalho que ali se deslocam para terem com Pietro conversas para as quais nunca haviam tido coragem. Em vez de lhe darem os pêsames, fazem-lhe confidências, expõem sentimentos e inseguranças numa série de histórias paralelas que levam o protagonista a reflectir sobre a sua própria existência.”

Opinião: Descobri este livro através do filme que saiu para o cinema, tendo a sorte de o ganhar num passatempo num jornal. Parti com a convicção que poderia ser um livro interessante, se a história fosse bem conduzida; felizmente, confirmei as minhas previsões e Caos Calmo acabou por me surpreender positivamente.

A história gira à volta de Pietro Paladini que, ironias da vida, enquanto ele e o seu irmão salvavam uma mulher de morrer afogada, a sua própria mulher morria em frente à sua filha. A partir daí, único responsável pela sua educação, no primeiro dia de aulas decide ficar parado em frente da escola da sua filha. Mas os dias passam e ele decide ficar naquele lugar, até trabalhando a partir dali, reflectindo “calmamente” sobre o “caos” em que o mundo em seu redor se torna. Os amigos, colegas de trabalho e restante família aproveitam a sua “ausência” do mundo real e começam a confidenciar-lhe todos os seus problemas, e da empresa onde trabalha que se prepara para fazer uma grande fusão.

Mas não pensem que a história gira apenas à volta de uma pessoa num banco de jardim e das suas reflexões filosóficas, o livro é mais do que isso. Adorei a perspectiva do “caos calmo”, ou seja, de, por vezes, tentarmos conseguir ver a vida do lado de fora, de ter a capacidade de ver os problemas pelo outro lado, de tentarmos ser frios quando mais necessitamos.

É um romance surpreendente, bastante cinematográfico (ficou a curiosidade de ver como o livro conseguiu ser transposto para cinema), com alguns motivos de reflexão, não sendo de admirar que tenha vencido alguns prémios literários, até pela sua originalidade da história. – Ricardo

Classificação: 8/10 – Muito Bom


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.