Home / 10/10 / [Opinião] A Glória dos Traidores, de George R.R. Martin

[Opinião] A Glória dos Traidores, de George R.R. Martin

Autor: George R.R. Martin
Título Original: A Storm of Swords (2000) – 2.ª metade 
Série: As Crónica de Gelo e Fogo #6 | A Song of Ice and Fire 3.2
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 570
ISBN: 9789896370916
Tradutor: Jorge Candeias
Origem: Comprado
Sinopse: O bafo cruel e impiedoso do Inverno já se sente. Quando Jon Snow consegue regressar à Muralha, perseguido pelos antigos companheiros do Povo Livre, não sabe o que irá encontrar nem como será recebido pelos seus irmãos da Patrulha da Noite. Só tem uma certeza: há coisas bem piores do que a hoste de selvagens a aproximarem-se pela floresta assombrada.

Opinião: Há cada vez menos para dizer sobre George R. R. Martin e o que há são elogios. Depois de seis livros, a sua obra continua com um fulgor fascinante e surpreendente. Cada capítulo é uma surpresa, pois está recheado de novidades que nos deixam boquiabertos e nos fazem (re)ler cada linha para assimilar que, de facto, o que lemos, aconteceu. N’ A Glória dos Traidores, em alguns momentos, a curiosidade chegou a ser tanta que quis saltar partes e ler como tudo terminava… Não o fiz, mas confesso que, perante a perspectiva de ter meses de espera até ao próximo livro, e, consequentemente, até ao final da saga, a minha resistência começa a baquear.

O título deste novo volume das Crónicas de Gelo e Fogo não podia ser mais claro. Nele se faz o elogio aos traidores, realçando as suas recompensas e explicando as suas motivações. As personagens continuam a ser exploradas até ao âmago, tornando-se tão reais que parecem viver no nosso mundo. O mais impressionante é que, por mais que se possam criticar as suas actuações, a distinção entre os bons e os maus é tão ténue que nós, leitores, somos incapazes de a fazer. Os acontecimentos não surgem por acaso, há uma interligação constante entre as várias personagens e os vários espaços da acção que nos agarra e torna a leitura interessante. As páginas sucedem-se e as surpresas marcam cada linha.

De todos, os últimos dois volumes foram os meus preferidos. A escrita fluída e contagiante do autor transmite-nos uma realidade impressionante, transformando-nos quase em espectadores activos desta saga. Pessoalmente, nunca pensei que um autor fosse capaz de ter este dom: dar-nos a conhecer repetidos volumes – no original, uma vasta obra – sem que tenhamos o medo de nos fartarmos dele. A magia do seu Mundo é tão perfeita que ninguém fica(rá) indiferente… seja hoje ou amanhã! – Cristina

Classificação: 10/10 – Obra-Prima


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.