Home / 6/10 / [Opinião] O Beijo do Highlander, de Karen Marie Moning

[Opinião] O Beijo do Highlander, de Karen Marie Moning

Autor: Karen Marie Moning
Título Original: Kiss of the Highlander (2001)
Série: Highlander #4
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 304
ISBN: 9789896370176
Tradutor: Teresa Martins de Carvalho
Origem: Comprado

Sinopse: Exausta do trabalho e saturada do quotidiano, Gwen Cassidy decide marcar uma viagem à Europa. O destino escolhido são as verdes Highlands da Escócia. Mas a esperança de encontrar o homem dos seus sonhos desvanece quando percebe que a sua fantástica viagem é afinal uma excursão de idosos. Frustrada, decide deambular sozinha pelas colinas de Loch Ness, onde acaba por escorregar e cair numa caverna há muito abandonada.
Nessa caverna, jaz Drustan MacKeltar, um lorde escocês adormecido por um feitiço há quinhentos anos, que começa a desenvolver um sentimento controverso pela fascinante personalidade de Gwen. Irreverente e impulsiva, ela não é nada como as mulheres que se cruzaram na sua vida. Será ela uma mulher à altura de um lorde como Drustan?

Opinião: Comprei este livro pelo facto de ter gostado imenso do Outlander da Diana Gabaldon, livro passado num cenário da Escócia da Idade Média e que incluía viagens no tempo. A verdade é que este O Beijo do Highlander fica a algumas léguas de distância do Outlander. Mas vamos por partes.

Coisas de que gostei: a escrita, que apesar de não ser nada de extraordinário, é extremamente bem-humorada (nota positiva para a tradução, que na minha opinião conseguiu captar bem essa vertente). Gostei também do conceito da história, com as viagens no tempo, e dos twists incluídos, que ajudam de certa forma a atenuar a previsibilidade do enredo.

Coisas de que não gostei: a construção das personagens e da sua relação. Sinceramente, achei a atracção entre o casal protagonista demasiada forçada e repentina, o que lhe conferiu um tom de irrealidade… Eu sei que num livro não é suposto as coisas acontecerem sempre como acontecem na vida real, mas mesmo quando assim é o escritor tem de conseguir convencer o leitor da verosimilhança dos acontecimentos, e isso não aconteceu comigo.
Depois, um período tão interessante da história e uma região com tanto para contar poderia ter sido abordado de uma forma imensamente menos superficial. Havia tanto por onde ir: contexto histórico, descrição de usos e costumes, etc. etc. A verdade é que sobre estes aspectos pouco é dito, centrando-se o livro praticamente apenas na relação entre o casal protagonista.
Provavelmente, estas coisas de que gostei menos tenham sido propositadas por parte da autora e este livro seja o que ela quis escrever. A mim, sinceramente, soube-me a pouco! 

6/10


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.