Home / 9/10 / [Opinião] Kushiel’s Dart, de Jacqueline Carey

[Opinião] Kushiel’s Dart, de Jacqueline Carey

Autor: Jacqueline Carey
Ano de Publicação: 2001
Série: Kushiel #1
Páginas: 1015
ISBN: 9780330493741
Origem: Comprado

Sinopse: The land of Terre d’Ange is a place of unsurpassing beauty and grace. It is said that angels found the land and saw it was good…and the ensuing race that rose from the seed of angels and men live by one simple rule: Love as thou wilt. Phèdre nó Delaunay is a young woman who was born with a scarlet mote in her left eye. Sold into indentured servitude as a child, her bond is purchased by Anafiel Delaunay, a nobleman with very a special mission…and the first one to recognize who and what she is: one pricked by Kushiel’s Dart, chosen to forever experience pain and pleasure as one. Phèdre is trained equally in the courtly arts and the talents of the bedchamber, but, above all, the ability to observe, remember, and analyze. Almost as talented a spy as she is courtesan, Phèdre stumbles upon a plot that threatens the very foundations of her homeland. Treachery sets her on her path; love and honor goad her further. And in the doing, it will take her to the edge of despair…and beyond. Hateful friend, loving enemy, beloved assassin; they can all wear the same glittering mask in this world, and Phèdre will get but one chance to save all that she holds dear. Set in a world of cunning poets, deadly courtiers, heroic traitors, and a truly Machiavellian villainess, this is a novel of grandeur, luxuriance, sacrifice, betrayal, and deeply laid conspiracies. Not since Dune has there been an epic on the scale of Kushiel’s Dart-a massive tale about the violent death of an old age, and the birth of a new.

Opinião: Kushiel’s Dart foi o livro de estreia da escritora americana Jacqueline Carey e é também o primeiro da trilogia Kushiel’s Legacy. Este primeiro volume dá-nos a conhecer um mundo renascentista reinventado (Terre D’Ange é a França dos nossos dias), onde a mitologia está fortemente enraizada e onde existem várias Casas que reverenciam diferentes deuses.

A história é contada na primeira pessoa por Phèdre nó Delaunay, uma menina rejeitada pelos pais na infância e que desde cedo sente dificuldade em integrar-se no mundo que a rodeia, não só mas também por estar marcada pelo deus Kushiel, que determina que ela não possa sentir prazer sem sentir dor. A base principal da história são as intrigas políticas e é no meio delas que Phédre se vai encontrar, utilizando as suas habilidades de cortesã para recolher informações preciosas para o seu tutor Anafiel Delaunay. A descoberta de uma conspiração contra a herdeira do trono, Ysandre de la Courcel, irá virar a vida de Phèdre do avesso e levá-la a viajar para bem longe da sua terra.

Este livro, apesar de longo (tem um pouco mais que 1000 páginas) é uma leitura viciante, envolvente e na maior parte do tempo bastante agradável. Jacqueline Carey conta a história sem pressas, tecendo a cada momento a mitologia e história do mundo com o qual nos deparamos e dando a perceber ao leitor os costumes dos povos que vamos encontrando ao longo da história. Apesar de ser normalmente catalogado como fantasia, diria que estará mais dentro da história alternativa, com alguns elementos do fantástico.

Gostei de muitas coisas neste livro, mas provavelmente a que gostei mais foi da personagem principal. Inteligente, astuta e magnetizante, acompanhamos o crescimento de Phèdre, as suas dúvidas e os seus anseios, criando por isso uma empatia inevitável. Isso permite ao leitor “aceitar” e julgar importante para a história a descrição de algumas cenas que envolvem práticas masoquistas, e que suponho não serem para todos os estômagos, apesar de escritas de uma forma bastante elegante. Depois, adorei a grande maioria das personagens secundárias. Todas elas extremamente bem caracterizadas, mais ainda quando penso que a história é contada na primeira pessoa.

Por fim, a história. Muito imaginativa, bem tecida e praticamente sem momentos desinteressantes ao longo das suas 1000 páginas. Fiquei fã e já mandei vir o segundo volume.

Classificação: 9/10 – Excelente


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.