Home / 8/10 / Crónica de uma morte anunciada

Crónica de uma morte anunciada

Vítima da denúncia falaciosa de uma mulher repudiada na noite de núpcias, o jovem Santiago Nasar foi condenado à morte pelos irmãos da sua hipotética amante, como forma de vingar publicamente a sua honra ultrajada e sob o olhar cúmplice ou impotente da população expectante de uma aldeia colombiana: é esta a história verídica que serve de base a este romance, e que, logo nas suas primeiras linhas, é enunciada.

Este livro, relativamente curto e que se lê de um só fôlego, foi o meu primeiro contacto com a obra do conhecido escritor colombiano Gabriel García Márquez, que curiosamente ganhou o Prémio Nobel da Literatura no ano em que eu nasci.
Tal como o nome do livro indica, o leitor fica desde o início a par do desfecho que a história irá ter, mas em nenhum momento esse facto é impeditivo da vontade de prosseguir a leitura. A história é relatada sem respeitar a cronologia dos acontecimentos, recorrendo Gabriel García Márquez variadas vezes aos retrocessos e às antecipações, o que, podendo à primeira vista parecer confuso, traz à história uma vitalidade e originalidade que fazem com que o leitor só consiga parar de ler quando chega ao fim.
Não sei se será esta a obra ideal para entrar no universo do escritor, mas para mim foi um prazer e um bom motivo para pegar finalmente em “Cem Anos de Solidão”, que aguarda a sua vez na minha prateleira há cerca de um ano. – Célia M.

8/10


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.